quinta-feira, 9 de março de 2017

A MINHA PRECE DE AMOR

 (Poema, 112/17)
(https://youtu.be/k1yxdM4fUZ8) "Ária na Corda de Sol" J. S. Bach



Em seus últimos suspiros o dia pediu-me que tocasse uma música suave para que seu sono fosse também suave e pudesse trocar de lugar com a noite sem sofrimentos.
Empunhei meu violino e de suas quatro cordas brotou a maravilhosa "Ária na Corda de Sol" de Bach.
O dia, quase dormindo, ouviu aquela delicadeza sonora e embarcou num sono que durará até o seu novo raiar.
Chegou a noite e me pediu para continuar a deliciosa composição do mestre de Eisenach, sem interrupção.
O tangenciar do arco com as cordas do violino encheu de magia o anoitecer e cobriu com ternura aqueles momentos breves com muito amor.
Do veterano campanário barroco soou o badalar do sino ancião anunciando a oração das 18 horas na velha capelinha.
Ajoelhei-me e, com solenidade, fiz uma breve oração aos ceus para que a tua noite se encha de bênçãos e o teu dia seja uma dádiva celeste, coroando a tua vida de realizações plenas de sucesso e que a felicidade se faça em sua totalidade.
A breve ária termina e com ela a minha prece para ti.
Mas, não termina nunca o amor que sinto nesse velho peito por aquela que surgiu em minha vida para me fazer um homem realizado.
Tu és a minha sinfonia perpétua! A minha prece de amor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário