quinta-feira, 30 de julho de 2015

A REUNIÃO DA REJEITADA COM OS IDIOTAS








L. Telles Bezerra



Hoje, num evento por demais peculiar e muito importante para a presidente Dilma Roussef, que goza da “preferência generalizada” da população com um índice de aprovação beirando o zero, 27 governadores prestarão seu apoio à ela numa reunião marcada para a tarde de hoje. Será? É ver para crer... Essa reunião tem dois motivos declaradamente claros, senão vejamos. O primeiro deles é a tentativa de socializar os prejuízos enormes advindos das falcatruas cometidas pelos petistas ao longo de 12 anos de assaltos aos cofres da Nação. Em 126 anos da fundação da república no Brasil, nunca se teve notícia de tamanha canalhice por parte de governantes e administradores públicos. Em decorrência das patifarias cometidas por Lula e Dilma Rousseff, o resultado vê-se estampado no noticiário diário da mídia brasileira e estrangeira. O segundo motivo é a tentativa claríssima de jogar nos ombros dos idiotas 27 governadores, parte da culpa dessa incompetente administradora que se acha na berlinda a um passo de ser cassada por improbidade administrativa. Pois bem, diante de tal quadro desolador (7% de aprovação), a presidente dos brasileiros achou por bem, aconselhada que foi por seu guru, o mestre em vigarices e tramas contra o Brasil, Lula da “Çilva”, convocar para um “diálogo nacional” todos governadores. Essa sua pantomima só tem lugar porque os governadores são um bando de otários, que não possuem capacidade de raciocínio prático e atenderam sua convocação sem ao menos questionarem o mérito. Com um propósito bem definido, essa reunião passará à história como a maior tentativa de tapeação do povo brasileiro de que se tem notícia. Munida do seu marqueteiro João Santana, a desprovida de cérebro que ocupa a presidência da República, tenta desesperadamente e a todo custo angariar a confiança daqueles que a repugnam por sua postura antidemocrática e aética na condução dos interesses da Nação. Ela, por recomendação do marqueteiro, já tem duas páginas nas redes sociais, que visam passar à população uma imagem diferente da que todos conhecem dela. Ou seja, como se todos nós fôssemos idiotas, ela tenta reverter a impopularidade despejando mais mentiras, além das milhares já despejadas durante seu período governamental desastroso. Perde seu precioso tempo, pois o máximo que conseguirá será o estresse profundo das pessoas que ela e seu séquito de vigaristas enganaram na última eleição havida. Se ela pensa que conseguirá tirar da cabeça de quem nela confiou durante a campanha eleitoral do ano passado e hoje sente no bolso o peso do reajuste fiscal, estará muito equivocada. Essa reunião de governadores vai ser um tiro no pé chulepento de Dilma Rousseff e seus orientadores, visto que a situação está muito mais para orações ao pé da santa cruz do que aos pés dos governadores por ela deixados de lado quando mais precisaram, em especial os do Nordeste, região sacrificada pela seca medonha. Tendo sido prevista para iniciar às 16:00 h dessa quinta-feira, 30 de julho, e contando com os pronunciamentos de cada um dos convivas, o tempo decorrido entre o início e o término desse ajuntamento inútil será de no mínimo seis horas somente de discursos. O que resultará, somente Deus sabe por antecipação, mas como bom observador que sou, acho que não terá bons resultados práticos. É ver para crer na eficácia dessa estratégia de marketing de João Santana.

Enquanto os reunidos se cumprimentarão entre si, a taxa Selic subirá mais meio ponto percentual atingindo o inacreditável patamar de 14,25% em meio a uma recessão implacável. Isso será mais um incremento para o desmonte da economia cambaleante brasileira que se encontra na UTI. Os meios produtivos não tem mais fôlego para se aguentar por muito mais tempo. Com isso, as concordatas preventivas e as falências se avolumarão de tal forma que nem mil reuniões desse tipo serão suficientes para evitar a quebradeira. As demissões em todos os setores da economia são atemorizantes e promovem o desespero nas famílias Brasil a fora. Com isso, podemos esperar um maior índice de criminalidade desenfreado nas grandes cidades, por conta da falta de dinheiro no bolso do povo mais carente. O mais incrível de tudo é constatar que a gastança nos 40 ministérios não para. Se houvesse seriedade no ajuste fiscal implementado por Levy, a primeira medida seria reduzir por metade essa plêiade de inúteis que ocupam amontoadamente a Esplanada dos Ministérios. Cortando pela metade esses ministérios desnecessários, os custos diminuiriam muito. Acontece que esses ministérios sempre foram usados como moeda de troca entre o Planalto e os partidos da base aliada, por esse motivo serão mantidos com o prejuízo maior da Nação.

Vamos ver em que resultará o circo armado por Rousseff e seus aconselhadores, com função prevista para iniciar às 16:00 h de hoje.
Para arrematar, leiam essa notícia alvissareira e “encorajadora”: (http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,os-inconfiaveis,1734802).

terça-feira, 28 de julho de 2015

O NOVO RUMO DA LAVA-JATO. A 16ª ETAPA DE INVESTIGAÇÕES INICIOU-SE ONTEM.


Almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva


L. Telles Bezerra



Numa nova frente de investigações, a 16ª etapa da Operação Lava-Jato se direciona agora para o setor energético, sob o título de “Radiatividade”. Nessa terça-feira, 28/07, a Operação Lava-Jato iniciou, com 180 agentes e delegados da Polícia Federal, cumprindo 30 mandatos de busca e apreensão, uma nova fase que deverá descobrir e esclarecer a formação de cartel na licitação das obras da Usina Angra 3 e pagamento de propinas a funcionários da subsidiária da Eletrobrás, de nome Eletronuclear, segundo informou o Estadão em sua edição de hoje. Com essa nova fase de investigações, a Justiça Federal, tendo como titular o juiz federal Sergio Moro, abre as cortinas de mais um amontoado de roubalheira executado pelos petistas, responsáveis maiores por todo o mar de corrupção e assaltos aos cofres públicos desde que assumiram o Brasil em 2003. Nesse setor, um dos mais ricos do governo federal, as investigações descobrirão os podres da feudal família Sarney, detentora de todos os cargos importantes do setor energético do país. Nesse nicho de corrupção, a família maranhense se destacou pelos maiores escândalos já descobertos no setor elétrico, como todos tem conhecimento através do farto noticiário da mídia brasileira nos últimos 20 anos. Assim como no setor energético, o dos transportes estará na mira dos investigadores numa possível etapa posterior. Depois, virão Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e outras estatais, alvos preferenciais dos petistas. Desde que iniciaram os assaltos aos cofres públicos em 1989, ano em que 7 (sete) bandidos do PT de Recife, assaltaram duas agências do Banco do Brasil no norte baiano e mais dois bandidos petistas fizeram o mesmo com uma agência do BB no norte do Paraná e foram todos presos. Depois desses dois assaltos, eles nunca mais deixaram de praticar seus crimes contra o patrimônio da União. Mesmo assim, os eleitores irresponsáveis, num total espantoso de 53 milhões de energúmenos, elegeram o chefão dos ladrões para governar o Brasil. Nada mais reconfortante do que a alforria dada pelos próprios assaltados aos assaltantes. País miserável de gente estúpida, o Brasil!

Nessa nova era de investigações, a Polícia Federal deverá encontrar coisas de deixar Marcola (chefe supremo do PCC) de cabelo em pé. Os crimes contra o patrimônio público federal deverá atingir cifras exponenciais, devido ao alto custo das obras de usinas hidrelétricas e nucleares, assim como de termoelétricas e eólicas “licitadas” pelos petistas. As obras inconclusas e superfaturadas serão desmascaradas e seus responsáveis descobertos e presos. Não haverá cadeia suficiente para tanta gente desclassificada ser presa. Agora entendi a medida tomada pelo juiz Sergio Moro, quando há uma semana mandou para penitenciárias federais os cabeças das empreiteiras que congestionavam o cárcere da Polícia Federal em Curitiba. Ele queria vagas para os novos presos que chegarão muito em breve. Esperto e previdente, o juiz Moro, não? Ele sabe muito bem que a multidão composta de ladrões do dinheiro público é tão grande, que não seria prudente manter nas celas da PF de Curitiba os presos da etapa anterior.

Dos 30 mandatos judiciais cumpridos ontem e a serem concluídos nos próximos dias ou horas, 23 serão de busca e apreensão, 2 de prisão temporária e 5 de condução coercitiva. Os dois presos serão levados para a cela da PF em Curitiba. Certamente haverá as já costumeiras delações premiadas que ajudarão o juiz Sergio Moro a tomar conhecimento dos corruptos dessa nova operação. Quando essa etapa da Lava-Jato tiver sido concluída, o número de pessoas presas pela PF, desde seu início ano passado, suplantará a quantidade de bandidos do Mensalão em mais do dobro. É incalculável, mesmo utilizando-se computadores modernos, as quantias surrupiadas dos cofres públicos desde que Lula se apossou da chave do Tesouro Nacional em 1º de janeiro de 2003. Jamais será devolvido aos cofres públicos um milionésimo do que foi subtraído pelos petistas bandidos desde o início da roubalheira. A Nação precisará de mais de um século de trabalho árduo para se recuperar do rombo deixado por essa quadrilha miserável.

Estamos assistindo o drama enorme da Grécia, que passa por imensas dificuldades por conta de gestões desastrosas de governantes socialistas incompetentes. O nosso drama não é de gestão apenas, mas de absoluta ação demolidora da nossa economia e indústria, promovida por uma escória miserável jamais vista em qualquer lugar do mundo. É impressionante e apavorante constatar que o povo brasileiro tem a mentalidade de uma criança quando se trata de raciocinar em termos de grandeza política para o Brasil. Essa massa de ignorantes manipuláveis não raciocina com lógica, mas oniricamente. Parece que vivem sonhando com o imponderável. Não se dão conta de que, sem futuro planejado, nossa Nação será abocanhada pelo crime organizado, da mesma maneira como aconteceu no México.

Com a nova etapa de investigações por parte da Polícia Federal, o Brasil e o mundo ficarão estupefatos com o tamanho do roubo praticado por Lula e sua quadrilha de bandidos. Imaginem quando as investigações chegarem a termo dentro do BNDES, aí sim, as coisas serão mesmo macro, pois até agora apenas uma pequena parte das falcatruas foi descoberta. Vamos esperar para vermos em quanto importará o montante do roubo empreendido dentro do setor energético pela família de ladrões, que dele tomou conta desde que Lula se instalou no Planalto. Essa semana e a outra vindoura serão decisivas para que as investigações descubram os meandros desse universo de falcatruas por mim anunciado desde os primórdios do desgoverno desse cretino sem vergonha. Para mim nada disso é novidade. Desde 2007, quando iniciei a publicar minhas crônicas na Coluna do Cláudio Humberto (atual Diário do Poder). Desde então, venho denunciando e antevendo tudo o que está acontecendo hoje em termos de descobertas dos assaltos ao erário. Nesse blog que passo o endereço a seguir (http://desabafolandia3.blogspot.com.br/) qualquer pessoa poderá ler o que escrevi a respeito do futuro imediato do Brasil, nas mãos criminosas de Lula e Dilma Rousseff. Basta procurar pela seção “O Guerreiro Telles”, na coluna móvel no lado direito do blog.

Vamos aguardar os novos desdobramentos da Operação Lava-Jato, tão brilhantemente conduzida pelo juiz Sergio Moro, uma repetição do famoso juiz italiano Giovanni Falcone, que desbaratou a Camorra, naquele país europeu na década passada. Esperamos que o nosso Moro não tenha o mesmo destino do juiz italiano da “Operação Mãos Limpas”.

Ao concluir essa crônica, tomei conhecimento através de O Estadão, da primeira personagem a ser presa pela Lava-Jato. Trata-se do presidente licenciado da Eletronuclear, Almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, que recebeu R$ 4,5 milhões de empreiteiras investigadas pela Operação Lava-Jato. Leiam aqui; (http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/presidente-da-eletronuclear-recebeu-r-45-milhoes-em-propina-diz-lava-jato/).

terça-feira, 21 de julho de 2015

OS EXCESSOS DE “HUINDDAD”







L. Telles Bezerra



Certas pessoas existem apenas e tão somente para desgraçar a vida das outras pessoas. Fernando Huinddad, ou melhor, Haddad, é uma dessas almas sebosas qualificadas para fazer o mal, apenas o mal e nada mais! Quando esse traste inútil ocupou o Ministério da Educação, no desgoverno do Jerico de Caetés, também conhecido como Lula, só cometeu fraudes e deseducação transformando sua administração caótica num lupanar da pior espécie. Mandou confeccionar cartilhas de matemática com erros gravíssimos de cálculos aritméticos, numa outra de português, manteve erros crassos de ortografia e concordância e, numa outra de geografia a anta ministerial deslocou a foz do São Francisco em mais de 200 km ao norte das coordenadas reais. Enfim, aprontou poucas e boas para com as nossas criancinhas do curso fundamental. Como se não bastasse, a incongruência lógica mandou confeccionar vídeos e folhetos em forma de livros didáticos como tutoriais sobre homossexualidade e seus trejeitos para que meninos e meninas das escolas públicas se transformassem em gays imaturamente. Esses crimes contra a educação fundamental nas escolas públicas, não foram punidos pelas “otoridades” afins, justamente porque o desgoverno da maior desgraça já eleita no Brasil estava em seu apogeu. Lula desgovernava o Brasil de vento em popa e gozava de grande popularidade por causa de seu Bolsa Família, que a todos ou quase todos enganava!! 




Fernando Huinddad (a quem eu apelidei de Kit Gay, em referência ao kit de sexualidade anormal que o traste mandou fazer), fez e desfez contra a educação pública de crianças brasileiras, ministrando-lhes todo tipo de imoralidade e obscenidades, menos orientação pedagógica. Terminados os dois períodos governamentais do aleijão mental nascido nos monturos de Caetés, este resolveu lançar como candidato à prefeitura de São Paulo, a maior e mais rica cidade do Brasil, nada mais, nada menos do que o desastre educacional de nome Fernando Haddad, recém saído de um ministério que conseguiu transforma numa zona do baixo meretrício. Parecia um pesadelo incapaz de se tornar realidade, mas para a desgraça de todos os paulistanos, a mediocridade oriunda do Planalto Central instalou-se com toda a sua “Huinddad” no trono municipal para aprontar das suas. Em primeiro lugar, resolveu vingar-se da grande parcela da classe média paulistana - que lhe deu uma banana em lugar de seus votos, mandando majorar astronomicamente o valor do IPTU, nas zonas onde foi fragorosamente derrotado. A Justiça brecou sua desfaçatez impedindo uma injustiça cruel contra os eleitores mais inteligentes de São Paulo. Ele apelou à última instância judicial na ânsia desmedida de se vingar dos “burgueses” que o rejeitaram com muita razão e foi derrotado novamente. Não satisfeito “maquiavelou” outros planos. Esses, muito mais difíceis de serem contestados judicialmente. O beócio implantou corredores de ônibus em toda a capital paulista transformando o trânsito já caótico num emaranhado de congestionamentos infindáveis. Mas, sua vingança estava incompleta. Ele tinha novos planos e caríssimos, diga-se de passagem. Mandou implantar 400 km de ciclovias em todas as ladeiras da Pauliceia Desvairada, ao custo extraordinariamente caro de R$ 42,00 (quarenta e dois reais) o CENTÍMETRO QUADRADO, segundo os cálculos do Prof. Villas, da Rádio Jovem Pan. Sua vingança estava quase conclusa, não faltasse a última de suas maldades. E ele propagandeou aos quatro ventos a diminuição da velocidade nas pistas expressa, central e local das marginais Pinheiros e Tietê. Com essa “medida de contenção dos acidentes e atropelamentos” naquelas vias (segundo alegou sua mula da CET), o alcaide das desgraças públicas estava quase saciado em sua ânsia sanguinária contra seus desafetos. A pista expressa teve sua velocidade reduzida de 90 km para 70 km, a central de 70 km para 60 km e a local, via primordial, de 70 km para 50 km. Nada existe no mundo mais extraordinariamente estúpido do que manter uma velocidade tão baixa em avenidas interligadas com mais de 50 quilômetros de extensão, como são as duas marginais que circundam parcialmente a capital dos paulistas. Nada mais hediondo do que transformar a vida de quem dirige em São Paulo, num caos como se transformou a nossa antes congestionada e agora totalmente paralisada Sampa! É algo demoníaco!

Por fim, e, atrasadamente, a OAB entrou com pedido de liminar na Justiça, tentando reverter mais essa Huinddad implantada com requintes de maldade pelo senhor de todas as estultices. O Ministério Público Estadual também exigiu na Justiça que o prefeito ajumentado envie-lhe todos os “estudos” e demonstrações que determinaram que, reduzindo a velocidade em pistas exclusivamente expressas, evitariam os “atropelamentos” nas mesmas. Será impossível o atroz jerico demonstrar a lógica de seus argumentos ao MPE, pois essa simplesmente inexiste. Tudo o que esse cidadão - que de nada entende de administração pública – pretende, com essa medida odiosa e danosa ao trânsito de São Paulo, é arrecadar mais dinheiro com multas por excesso de velocidade nas Marginais. Ele precisa justificar o excesso de radares de custo caríssimo implantados ao logo dessas duas artérias importantíssimas para a cidade. Hoje, eu fui experimentar trafegar nas pistas expressas e locais da Marginal Tietê. Ninguém merece! É como se estivéssemos acompanhando um féretro carregado por uma carroça puxada por burros. 

Só nos resta agora vermos como se pronunciará a Justiça diante dos pedidos da OAB, Ministério Público Estadual e muitos outros pedidos de liminar impetrados por particulares.
Que Deus nos proteja das medidas de segurança desse pobre diabo que se acha o mais capacitado do mundo em administração pública, de nome Fernando Huinddad, ou melhor dizendo, Haddad! Não foi por acaso que ele foi apadrinhado e apresentado por outra ameba muito pior do que ele. Paguemos pra ver o que ocorrerá depois da análise da Justiça, sobre a questão posta por esse Pedro Malasartes, que atua como prefeito da cidade de São Paulo.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

OS SUPOSTOS “ACIMA DAS LEIS” ESTÃO CAINDO






L. Telles Bezerra

É comum os políticos brasileiros pensarem-se acima de qualquer lei existente no Brasil. Cometem os mais absurdos crimes contra o povo desse País e não temem nada, porque sabem que poderão sair impunes. Agora, depois do Mensalão, parece que os conceitos estão mudando e os políticos estão sentindo na carne o que já deveria ter acontecido desde a primeira canalhice cometida por essa classe nojenta. Com a presença severa e perseverante do ministro Joaquim Barbosa (um moralizador que permaneceu muito pouco na ativa), como relator da Ação Penal 470 (Mensalão), um novo capítulo da Justiça brasileira foi escrito. Mesmo com penas suaves e desdobradas para cumprimento do restante em domicílio, foi marcado um tento na direção da extinção da impunidade. Agora, ou melhor, ha quase dois anos do início da Operação Lava-Jato, estamos assistindo um verdadeiro show de prisões e mandados de busca e apreensão em residências que jamais se pensou possível de acontecer um dia. Vimos os grandões das empreiteiras serem trancafiados, diretores de estatais sendo conduzidos algemados para as celas da Polícia Federal e, agora, políticos de renome nacional e até internacional sendo prensados contra a parede para pagarem por seus crimes. Munidos de suas imunidades, por serem parlamentares e gozarem de fórum privilegiado, os políticos oriundos do Congresso Nacional são os que mais protestam e se apegam aos mais tolos argumentos, para tentarem se livrar das “humilhações judiciais” em curso. Ora, senhores, as Leis são redigidas e editadas em seu local de trabalho. Se não quiserem ser enquadrados nelas, não prevariquem! Leis foram feitas para serem cumpridas!

Muita água suja ainda vai passar sob a ponte e muita gente graúda considerada intocável, terá que dar explicações aos togados, mais cedo ou mais tarde. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, me parece disposto a enfrentar as feras de frente e não se fez de rogado ao requerer autorização ao STF para adentrar as residências dos manda-chuvas da política, enrolados com a Lava-Jato. Os mandados foram integralmente cumpridos e apreensões importantes foram feitas, em especial na casa de Fernando Collor de Mello, senador e ex-presidente da república. Uma vergonha para os eleitores que nele votaram em 1989 e nas eleições subsequentes, após o cumprimento dos 8 anos que cumpriu sem direitos políticos, decretado pelo Congresso, quando de sua cassação.

Mas, como todos os cidadãos que tem um pingo de lógica em seus cérebros pensam, toda quadrilha tem sempre um chefão. Esse chefão, que as investigações da Operação Lava-Jato caçam, está ficando cada vez mais aparente por suas ações defensivas e denunciadoras de sua culpa. Todos os envolvidos nas investigações sabem muito bem quem ele é, só precisam de provas inquestionáveis para colocá-lo atrás das grades. O temor de ser descoberto é tanto que vemos a raposa velha de 9 dedos voando de norte a sul e de leste a oeste, Brasil a fora, em busca de ajuda para não ser preso, mas seu esforço será inútil devido às provas que existem contra ele. A coadjuvante nesse crime miserável contra a Nação, a atual presidente da república, está dando demonstrações inequívocas de sua culpa ao se encontrar furtiva e estranhamente com o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, em Portugal, para tratar não se sabe do que, mas presume-se. Ora, essa viagem em busca de ajuda junto ao presidente da Corte Suprema, nada mais é do que uma demonstração de pavor e desespero. Nunca, na história desse País, como sempre disse o chefão dos petralhas, aconteceu tal fato. Aliás, tudo o que os petistas fizeram de ruim durante os mandatos que exerceram e ainda exercem, são “novidades”. Do Mensalão até o rombo nas estatais, aí incluído o mega rombo nas contas do BNDES. Eu já previra isso em fevereiro de 2014, quando escrevi a crônica que deu base para esse vídeo que circula na internet: (https://youtu.be/Gf7JhhJv5gE). Calcula-se, que a erosão nas contas do BNDES é tão grande que pode atingir 200 vezes o valor do Mensalão. Isso não pode passar em brancas nuvens sob pena de o País se transformar num mafuá sem controle, onde todo e qualquer canalha poderá saquear seus recursos financeiros e enricar impunemente. Foi o que fizeram milhares de petistas ávidos por dinheiro fácil dos idiotas contribuintes brasileiros, que de nada reclamam e acham tudo “normal”. Agora chega! Isso quem grita é um povo enxovalhado e feito de trouxa por uma escória política jamais vista em algum lugar do mundo. As manifestações acontecidas nas principais cidades do País deixaram muito bem claro que não vamos mais tolerar tamanha canalhice. Muitas outras haverão de acontecer muito em breve e deixarão patente o que o povo aviltado desse miserável país deseja de seus políticos inúteis e desonestos.

O senador Collor esbravejou da tribuna do Senado contra a “humilhação” que sofreu com as buscas em sua Casa da Dinda, maloca que ficou famosa por suas torneiras de ouro quando de sua cassação. As fotos anexas mostram os carrões e os R$ 4.5 milhões de reais apreendidos num cofre camuflado de armário no escritório dele. A humilhação verdadeira é para a Nação que foi esbulhada vergonhosamente por essa cambada de ladrões sem vergonha. A prisão será uma pena muito suave para todos eles. Num país sério, de conceitos diferentes dos nossos, seriam todos fuzilados, após passarem por um longo julgamento e suas famílias ainda arcariam com as despesas das execuções. Mas, o que levou o senador Collor guardar tanta grana em sua casa, sabendo que a qualquer hora os homens da PF chegariam? É muito simples de concluir: ele jamais acreditou nessa possibilidade devido a certeza da impunidade reinante no meio político e jurídico brasileiro. “Quem se atreveria a vasculhar minha casa?”, deve ter pensado ele... Mas, as coisas mudam, e, parece, estão mudando rapidamente para desgraça deles e esperança para 200 milhões de brasileiros descrentes... Pelo menos parece.

A fera irada





Cadilac na garagem de Collor
Lamborghini de 2.8 milhões de reais.

Armário-cofre no escritório da Casa da Dinda


Ferrari de R$ 1.500 milhão


Mais tempo, menos tempo, veremos o ratão maior ser investigado pra valer e finalmente preso. Aliás, sabe-se que o ministro do TSE, Gilmar Mendes mandou investigar as contas de Dilma Rousseff nas eleições passadas. Descobriu-se que nas campanhas de Lula, choveu dinheiro roubado da Petrobras e de outras estatais como Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Só resta apurar rigorosamente e emitir as ordens de busca e apreensão. Por essa e outras razões, ele está desesperado fazendo mil viagens pelo Brasil a fora, principalmente a Brasília, na tentativa de conseguir apoio de alguém que possa livra-lo da cana grossa. Comenta-se que esse encontro de Dilma, Lewandowski e José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, em Portugal, foi ideia dele. Há uma louca corrida contra o tempo de Lula e Dilma Rousseff. Esta, sem acreditar ainda que poderá cair a qualquer momento. Certos bagulhos da estrela vermelha estão tentando insuflar os ditos movimentos sociais, na esperança de protegê-los da Lava-Jato. Até agora, os políticos envolvidos na Lava-Jato não acreditam que poderão ser presos, acham que tudo será levado no banho Maria e ficará o dito pelo não dito. Não me parece que essa seja a lógica de tudo. Vejo muita disposição do juiz federal Sergio Moro e de seus auxiliares da Procuradoria Federal. Se alguém está de má vontade não se encontra em sua equipe. Portanto, senhores e senhoras corruptos e corruptores, preparem-se, pois aí vem uma onda tsunami inesperada e devastadora. O chefão e seus auxiliares mais imediatos, como Dirceu, Palocci, Vacari (esse último já está trancafiado) e outros patifes precisam ser desmascarados e enquadrados nas Leis, para pagarem pelos crimes de lesa-pátria que cometeram contra o Brasil, que nesses trastes desavergonhados confiou e por eles foi traído miseravelmente. É o que os brasileiros revoltados e conscientes esperam das autoridades responsáveis pelas investigações. 

Aguardemos os acontecimentos finais.




PREVIDÊNCIA SOCIAL ALTAMENTE SUPERAVITÁRIA






Por: Alcides dos Santos Ribeiro – Presidente da  FAPEMS - Federação dos Aposentados e Pensionistas do Mato Grosso do Sul.
Campo Grande MS 19 06 2015
Considerando as últimas medidas adotadas pela nossa presidente sobre a falsa defesa da Previdência Social, lá pelos anos de dois mil e sessenta (2.060), ou seja, daqui a quarenta e cinco (45) anos. Concordo que é preciso os ajustes quanto ao aumento da idade para ter direito a solicitar a aposentadoria. Mas acho que este assunto deve ser discutido com bases nos levantamentos históricos dos censos anteriores realizados pelo IBGE. Na realidade, quanto ganhamos de sobrevida ao ano? Um mês? Quatro meses? De acordo com a proposta apresentada, ganhamos seis meses de vida a cada ano e não é isso que vemos registrados nos levantamentos dos censos anteriores.
Outra linha de estudo que também merece nossa atenção é analisar como é que foi montada a nossa Previdência Social. Sabemos que na década dos anos sessenta (60), o governo estatizou todos os fundos de pensões existentes, puxando para os domínios do Estado todo o patrimônio destes fundos e assumiu os pagamentos dos então aposentados e pensionistas da época. Também no ano de 1988, foi aprovada a nossa Constituição, onde consta um capítulo Social que descreve em seus artigos, incisos e parágrafos, como que a Seguridade Social (saúde – Assistência – Previdência), seria administrada e quais seriam as fontes de custeio. Deste modo foi criado o “Orçamento da Seguridade Social”, com diversas fontes de financiamento a fim de garantir que nunca faltariam recursos para cumprir os compromissos com os aposentados, com a saúde e com a assistência social. E de fato, desde que foi criado, este “Orçamento” nunca apresentou déficit. Ele sempre foi superavitário. (vide tabela anexa). (https://fapems.files.wordpress.com/2011/01/captura-de-tela-2014-11-06-c3a0s-16-54-35.png)  - (Os dados desta tabela podem ser confirmados no site www.anfip.org.br  - Publicações, livros – análise da Seguridade Social). Notem que o superávit durante os exercícios de 2000 até 2013 foi de R$711.144 (setecentos e onze bilhões e cento e quarenta e quatro milhões de reais). Então qual é o problema eis que o nosso governo vive alardeando um grande déficit?
Para responder esta pergunta é necessário ainda mais uns esclarecimentos: Todos os presidentes, desde 1988 até hoje, vem descaracterizando as Contribuições Sociais e tratando-as como “Impostos”. Na prática isto significa que o lucro verificado nas contas do Orçamento da Seguridade Social “podem” ser zerados ao final de cada exercício.  Desta forma sempre inicia o ano seguinte sem nenhum recurso neste orçamento. Esta é uma manobra desonesta, desumana e inconstitucional. É inconstitucional porque estes recursos estão vinculados a Seguridade Social, conforme artigos 194 e 195 da Constituição. É desumana porque atinge principalmente aos idosos, trabalhadores aposentados que já cumpriram suas obrigações e que agora dependem de suas aposentadorias. É desonesta porque utiliza recursos da saúde para outras finalidades, deixando a população sem atendimento adequado e de qualidade nos serviços de saúde, onde faltam médicos, medicamentos e leitos hospitalares.
Além deste procedimento tem ainda a criação da famosa D.R.U (desvinculação dos Recursos da União), que retira 20% de toda arrecadação do Orçamento da Seguridade Social e transfere para o executivo gastar onde quiser.
Mais recentemente, nossa presidente, vem autorizando a desvinculação da folha de pagamento e com isso retira também mais recurso do Orçamento da Seguridade Social, pois o imposto criado em substituição, vai direto para o Orçamento Fiscal.
 Nossas Autoridades estão preocupadas com o ano de 2.060. Na verdade deveriam mesmo é estar olhando para esses desvios (R$711.144 bilhões) que são praticados no presente e que suas consequências vêm sendo jogadas sobre os ombros já alquebrados dos idosos aposentados e pensionistas do INSS, dos trabalhadores e de toda sociedade brasileira. 

-- 
CHEGOU O "PAI" PARTIDO DOS APOSENTADOS

Alcides dos Santos Ribeiro - Presidente
FAPEMS - Fed.das Assoc.dos Apos.e Pens.do Estado do Mato Grosso do Sul
67-9983 8267
 

domingo, 12 de julho de 2015

FRANCISCO, O PAPA LENIENTE







L. Telles Bezerra

É inacreditável o que vem acontecendo na visita de sua santidade, o papa Francisco, à América Latina (ou seria Latrina?). As declarações hostis que fez ao capitalismo, alvo predileto das bestas-feras comunistas, fazem desse sumo pontífice uma personagem retrógrada e sem noção da realidade. É um engano tolo e inconsequente - para não dizer coisa mais contundente, acusar o capitalismo de assassino e opressor das massas operárias, quando se sabe que foi graças a esse sitema econômico que a civilização moderna evoluiu tanto. Ignorar isso é o mesmo que se declarar um medíocre, um
apedeuta. 
Na visita que fez essa semana à Bolívia, o papa recebeu das mãos sujas de sangue de Evo Morales, uma escultura simbolizando o comunismo, com um crucifixo montado no martelo do símbolo comunista. Ao aceitar esse "presente" o papa simplesmente ignorou todos os seres humanos assassinados por Stalin, Mao Tsé-Tung, Pol Pot, Chê Guevara, Fidel Castro e tantos outro facínoras comunistas. O papa Francisco, poderia ter tido a grandeza de recusar tal objeto em nome da dignidade da igreja católica. Ele não só aceitou a oferenda como visitou os acampamentos de sem terras naquele país, comumente chamados de movimentos sociais, que, na realidade, não passam de milícias muito bem treinadas e armadas para matar friamente quem se opuser ao regime ditatorial de Evo Morales. Ora, quem prega a paz e a concórdia não pode descer tanto e conceder prestígio a esse tipo de gente. Quando uma figura pública de alta relevância no cenário mundial se presta a esse tipo de atitude sem um protesto sequer, nada mais faz do que dar enlevo aos ditadores sanguinários que assassinam friamente seus opositores. Vimos centenas de pessoas serem metralhadas nas ruas e praças de Caracas, a mando do facínora Nicolás Maduro. Mesmo assim, sua santidade foi a esse país emprestar sua solidariedade ao “povo venezuelano”. 


Mas, que povo? O oficial, protegido pelo ditador e seu regime? Ou o povo renegado e massacrado por esse mesmo sanguinário governo apoiado e incentivado por Cuba, uma nação transformada em prisão? 
Todo chefe de estado consciente tem por obrigação escolher a dedo os países a visitar, sob pena de se passar por apoiador de criminosos como os aqui descritos. Esse papa parece não se importar com a história recente da civilização. Diferentemente de Bento XVI, que viu sua Alemanha ser destroçada numa guerra mundial promovida pelo nazismo e depois ser dividida em duas pelo comunismo, Francisco parece não considerar o tremendo genocídio praticado pelos comunistas desde 1917. Para ele, ao que parece, não tem a menor importância os mais de 25 mil seres humanos mandados fuzilar pelos irmãos Castro; os mais de dois milhões de pobres coitados dizimados a mando Pol Pot no Camboja... É como se Francisco desconhecesse o que houve na URSS, depois que Stalin se apoderou de tudo. Somente em território soviético foram mais de 28 milhões de execuções quase todas sem julgamento, como é a praxe dentro de um regime comunista. Na China, Mao Tsé-Tung mandou matar quase 30 milhões de pessoas na Revolução Cultural, um bárbaro genocídio cometido em nome do marxismo naquele país. Tudo isso, fora as guerras promovidas pelos comunistas para conquistar mais povos sob o seu tacão miserável. Tudo isso não passa como desconhecido na mente de Francisco, mas ele consegue se abraçar a canalhas do tipo de Raúl e Fidel Castro, em Cuba, quando de sua visita àquele país, transformado em gueto de miseráveis e reduto da roubalheira do dinheiro público brasileiro e venezuelano.


Um papa não pode desprezar a história, para que não seja futuramente condenado por seus atos, como o foi Eugenio Pacelli, o papa Pio XII, fiel aliado de Hitler e Mussolini. 

Na foto acima ve-se Eugenio Pacelli, representante do Vaticano, ao sair de uma visita a Adolf Hitler, então chanceler da Alemanha nazista, onde foi firmar o famoso Reichskonkordat.


(https://www.google.com.br/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=0CAUQjhw&url=https%3A%2F%2Fnoticiasdesiao.wordpress.com%2F2013%2F07%2F20%2Freichskonkordat%2F&ei=3ByjVcnxH8GrwATf-YngBQ&bvm=bv.97653015,d.Y2I&psig=AFQjCNEaTTxf39u9kGCpN0L9q7qBpf-OMQ&ust=1436839386291092)


Essa aliança, descrita no livro “O Papa de Hitler”, de autoria de John Cornwell, conta como o religioso consentiu na matança dos judeus e de cristãos no regime nazista da Alemanha, ao assinar um pacto entre a igreja de Roma e o regime ditatorial de Berlim. Por causa desse pacto criminoso, Hitler sentiu-se compelido a tomar as mais drásticas decisões no início de seu governo como chanceler da Alemanha.




Os fatos narrados no livro acima citado é de conhecimento de Francisco, assim como os outros descritos anteriormente nessa crônica e deveriam influencia-lo ao escolher seus anfitriões nas visitas papais. Esse livro foi escrito baseado nos anais da história constantes dos arquivos da Santa Sé, em Roma. Os fatos nele descritos não podem ser contestados, mesmo que a igreja quisesse, pois estão registrados em livros da diplomacia oficial do Vaticano. Realidades como essas são manchas negras na história recente da igreja católica, tanto quanto a famigerada “Santa Inquisição” foi na Idade Média. Se Francisco quer ser um novo Pacelli, basta continuar a prestigiar os patifes que oprimem e massacram seus povos aqui na América “Latrina”.

Que absurdo!

segunda-feira, 6 de julho de 2015

O BAILE DA ILHA FISCAL SE REPETIRÁ?











L. Telles Bezerra


Esquerdistas escapes da Contrarevolução de 1º de abrl de 1964 (e não 31 de março) reuniram-se e fundaram o Partido dos Trabalhadores, tendo à sua frente pessoas de diferentes tendências esquerdopatas, que militaram ou não em frentes de reação armada aos militares. Pois, bem, como essa gente não dispunha de um líder capaz de aglutinar todas as tendências e se tornar um destaque no cenário político nacional, optaram por um elemento com ares de vigarista, esperto, inteligente (para o mal apenas), mas semianalfabeto e sem nenhuma cultura ou senso de moralidade ou ética e que pudesse ser manobrado de acordo com suas necessidades. Essa figura existia e liderava metalúrgicos em São Bernardo do Campo, no conhecido ABC paulista na década de 70. Seu nome? Luiz Inácio da Silva, vulgarmente conhecido por Lula. De origem humilde, vindo do distrito de Caetés, município de Garanhuns, agreste meridional de Pernambuco, chegou aqui em 1952 trazido num pau de arara juntamente com o resto de sua família. Esse elemento foi monitorado por um bom tempo pelas forças de segurança do estado no Regime Militar. Foi considerado de utilidade pelo governo militar e cooptado para fazer o papel de espia dentro de seu reduto no ABC paulista. Atuou junto ao chefe do DOPS paulista, o Delegado da Polícia Federal, Romeu Tuma e com ele cooperou por muito tempo delatando seus companheiros e os movimentos grevistas que articulava como líder natural dos metalúrgicos. Foi um informante de certa importância para o regime Militar, no âmbito da segurança política aqui em São Paulo. Para maiores informações consultar o livro de Romeu Tuma Júnior, “Assassinato de Reputações – Um Crime de Estado”.

Ao longo de uma década, “O Barba,”(como era conhecido dentro dos serviços de informações do Regime Militar), foi escolhido como o elemento chave pelas esquerdas unidas do Brasil. Militou onde lhe foi indicado pelos títeres da esquerdopatia brasileira, até que se candidatou pela primeira vez à presidência da república contra Fernando Collor de Mello, em 89, perdendo a eleição fazendo o “Caçador de Marajás” presidente do Brasil em 90. Na cassação de Collor ele foi peça importante na articulação para a sua deposição no Congresso.

Lula sempre se dedicou à sua ambição de auferir o cargo máximo da República Federativa do Brasil e uma vez lá fazer o que bem quisesse, como o fez a partir de 1º de janeiro de 2003, quando foi empossado presidente da República, depois de ter sido eleito com mais de 53 milhões de votos. Governou por dois péssimos mandatos, sempre dirigindo a Nação para um abismo previamente visualizado por todos aqueles que entendiam de Brasil, menos por seus eleitores imbecilizados que o idolatraram como se fora ele um mecenas salvador e moralizador da Pátria. Não demorou muito para se ter uma ideia exata do que ele e sua corja de assaltantes queriam. Dois anos e meio após ter sido ungido presidente, estourou a bomba que o conduziria algemado para fora do Palácio do Planalto, não fosse a interferência salvadora do PSDB na pessoa de seu líder maior, Fernando Henrique Cardozo, seu incentivador e mentor, que evitou a cassação do meliante petista com um telefonema para o líder tucano no Senado, Sen. Arthur Virgílio (PSDB-AM), alegando uma possível comoção social, caso o bandido chefe da quadrilha fosse deposto. Salvo pelos tucanos indecorosos, Lula fez uma festa ao saber que ninguém o tiraria do poder antes que ele enchesse seus cofres do dinheiro público com maracutaias de todos os tipos, urdidas na calada da noite nos recônditos dos palácios de Brasília. Negociatas de todos os tipos foram efetivadas através de fusões de empresas nacionais e internacionais de onde o grande mentor da tomada do poder se beneficiou montanhas de vezes. Usou seus filhos como testas de ferro, enganou um monte de bestões fazendo-se parecer honesto e desconversou milhares de vezes ao ser questionado sobre tais negociatas.

Depois de cumprir seus dois mandatos criminosamente, Lula conseguiu eleger uma anta em seu lugar. Esta, uma ex-terrorista e assaltante, oriunda do grupo terrorista Var Palmares, responsável pelo assalto ao apartamento da amante do ex-governador de São Paulo, Adhemar de Barros de onde ela e seu bando levaram US$ 2.5 milhões e copartícipe no atentado à sede do II Exécito, que resultou no estraçalhamento do soldado Mario Kosel Filho em São Paulo. Com um currículo assim, ela não seria eleita manda-chuva de uma casa de lenocínio no pior país africano, mas no Brasil de todos os trouxas e irresponsáveis ela foi “coroada” rainha da república das bananas pelo Partido dos Trabalhadores (PT), que tornara-se a pior escória política já surgida no Brasil. Essa senhora, dita bacharela em ciências econômicas pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas – PUC (“celeiro de grandes luminares” do PT), foi alçada ao mais alto cargo da República. Sem qualquer preparo para ser gerente de um boteco de ponta de rua, ela conseguiu falir uma lojinha de R$ 1,99 em Porto Alegre, por excepcional incapacidade gestora que sempre trouxe em seu currículo. Passou por estatais sempre deixando seu rastro de incompetência, mas se mostrando sempre servil a quem a protegesse. Como presidente (ou presidenta, como obrigou aos seus auxiliares a chama-la) cometeu erros infantis capazes de preparar seu futuro medíocre como chefe de estado que nunca foi. Estamos vivenciando hoje o resultado desastroso de uma vigarice inventada por Lula da Silva. Ele a todos engabelou apresentando-a como sua “gerentona competenta”, que não passa de uma irresponsável que está nos levando para um buraco sem fundo, caso ninguém a detenha.

Pois bem, depois de ter sido “perdoado” pelos tucanos em 2005, quando o Mensalão foi descoberto, ou melhor, denunciado por um dos beneficiados, Lula da Silva se viu livre e com total liberdade para praticar seus crimes com muito maior ganância e ousadia. Iniciou seu périplo “perdoando” a dívida externa de “países pobres” da África e América Latina, obtendo com esse “perdão” um extraordinário lucro mediante percentuais abatidos da dívida de cada país que recebeu a alforria. A Operação Lava-Jato já está investigando tudo. As burras de sua quadrilha se encheram de dezenas, talvez centenas de milhões de dólares. Mas, para ele aquilo ainda era muito pouco. Dessa feita, ele lançou mão de uma estratégia diferente. Por intermédio de empréstimos sigilosos do BNDES, ele financiou portos, ferrovias, rodovias, aeroportos, urbanizações de cidades, hidrelétricas, barragens e outros tipos de “obras” todas fora do território nacional, com o intuito de auferir enormes quantias advindas de comissões pagas pelas empreiteiras brasileiras que “ganhavam” a execução das obras. Financiadas pelo BNDES, sem aprovação prévia do Congresso Nacional e sem conhecimento do povo brasileiro, mais de 6 bilhões de dólares foram empenhados nessas obras desconhecidas até do Tribunal de Contas da União.

No link a seguir pode-se ver todas as obras executadas pelo PT, fora do Brasil, com o dinheiro do BNDES: (https://youtu.be/Gf7JhhJv5gE).

Não se tem noticia de um roubo de tamanhas proporções em nenhum lugar do mundo praticado por um governo, por mais remoto que seja o país. Sabe-se que na África, muitos ditadores e tiranos se apoderaram de fortunas imensas, mas nenhum desses roubos pode ser comparado com o que o Partido dos Trabalhadores produziu no Brasil. A soma é tão grande que até agora ninguém sabe quantificar. Calcula-se que o rombo no BNDES seja pelo menos duzentas vezes o produzido pelo Mensalão. “É algo descomunal”, segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Tudo isso foi praticado por pessoas eleitas em pleitos supostamente limpos e legais dentro de uma democracia, acreditando-se que seriam honestas para com a Nação. O resultado foi o maior desastre jamais concebido antes da aparição dessa quadrilha mafiosa urdida por Lula e seus asseclas. A situação do Brasil com relação à confiança internacional é calamitosa e humilhante para as pessoas que tem um pingo de vergonha na cara. Em época alguma da nossa história passamos por tamanho vexame. Mas, ninguém que conhecesse a história dos agentes que cometeram tamanha sandice contra o Brasil, poderia esperar algo diferente do que aconteceu e está ainda acontecendo. Eu mesmo esperei tudo isso e muito mais, pois desde 2007 venho martelando na mesma tecla através das minhas mais de 4.650 crônicas publicadas num site de Brasília. O que se espera das autoridades judiciais e fiscais, STF e TCU, é que tenham consciência do que aconteceu com a Nação e façam jus aos cargos que ocupam condenando toda essa máfia miserável e mesquinha a longos anos em presídios federais sem distinção. É inadmissível que pessoas eleitas para dignificar a Nação, e tendo jurado solenemente governa-la com honradez, procedam como bandidos sem escrúpulos e nada lhes aconteça. Que sejam responsabilizados todos os(as) que cometeram crimes de lesa-pátria, condenados e presos sem direito a progressão de pena!

A renúncia de Dilma Rousseff é esperada para qualquer momento, diante das denúncias que se avolumam na mesa do juiz Sergio Moro. Como se não bastassem as denúncias de Ricardo Pessoa, peça chave nesse imbróglio todo. o tribunal de Contas da União está prestes a não aprovar as contas do governo federal referentes ao ano passado. Se isso acontecer, não tem como o Congresso Nacional, não cassar o mandato da presidente Dilma Rousseff, por infringir a Lei de Responsabilidade Fiscal. Nessa missão está, como pedra fundamental, o TCU, que, pela lógica, não deverá aprovar suas contas baseadas em “pedaladas fiscais”. Apesar de tantas dificuldades para a senhora que se encontra presidenta, parece que nada lhe diz respeito. Isso me lembra o Baile da Ilha Fiscal, seis dias antes da proclamação da república e deposição do império no Brasil. Todos se esbaldavam numa grandiosa festa sem saber do seu breve futuro. Isso está prestes a acontecer com o desgoverno de Dilma Rousseff, mas... Ela vai passear na Europa! Que aproveite bem enquanto pode!
Diante de tantas patifarias e clareza no desfecho desse caso escabroso, não existe a menor possibilidade de sair impune desse ajuste de contas os dois principais atores dessa peça trágica e bufa ao mesmo tempo. Trágica, porque eles levaram o Brasil à desmoralização ao desastre econômico, com a nossa indústria se desmontando à medida que o tempo passa. Bufa, porque os responsáveis por tudo o que aconteceu, e ainda vem acontecendo, agem como se nada tivesse qualquer relação com eles. No momento em que estamos prestes a saber do alto índice de inflação, da alta taxa de desemprego, do baixíssimo desempenho da nossa economia aliado à altíssima rejeição da presidente Dilma Rousseff, esta se prepara para ir à Europa num passeio sem cabimento como se nada disso estivesse acontecendo. Acho que em sua mente doentia e irresponsável ela pensa: “Ora, que tudo se dane, eu quero mesmo é me esbaldar! Esses bundões não se atreverão a me cassar o mandato!” Talvez ela tenha razão, mas pode ser que as coisas mudem de repente e ela quebre a cara e, quando voltar, não seja mais presidente. Só nos resta esperar que cada uma das autoridades responsáveis pela Nação, tenha a decência de cumprir com o seu dever e deponha essa criminosa assim como o seu mentor político e responsável por todos os crimes cometidos desde o dia primeiro de janeiro de 2003. 
Aguardemos os acontecimentos.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

OS AMADORES








L.Telles Bezerra

A aprovação pela Câmara dos Deputados da redução da maioridade penal, nessa quarta-feira, não significa o muito que o povo brasileiro espera de seus legisladores. O que o povo sacrificado brasileiro espera de seus parlamentares é uma mudança drástica e significativa no ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente, de modo a punir com extremo rigor a onda insuportável de crimes praticados por menores de 18 anos no Brasil inteiro. A opção pelos crimes considerados hediondos aprovada pelo plenário da Câmara, não significa algo substancial nas mudanças que a população judiada reclama. O que queremos todos nós, que temos consciência e responsabilidade, é que a Lei seja modificada para algo realmente eficaz, que faça frente aos desmandos e crimes desses marginais menores protegidos que são por esquerdopatas e beócios que nunca sofreram na carne a perda de um ente querido, cuja vida foi ceifada pelas armas dessa corja de vagabundos. Como se não bastasse tudo o que vem ocorrendo ao longo dos 30 anos de governos ditos civis e democráticos, temos que aturar entidades como a OAB e partidos políticos se posicionarem frontalmente contra a sociedade brasileira opondo-se às mudanças numa Lei que se encontra esgotada em seu conteúdo por ser extremamente tolerante com criminosos menores de idade.
Outro absurdo odioso é ver figuras públicas respeitáveis fazendo pressão para que essa aberração em forma de Lei seja mantida sem alterações significativas. Vimos José Serra, senador do PSDB por São Paulo (estado onde a onda de crimes praticados por menores chega às raias do absurdo), nas galerias ombro a ombro com os contrários à mudança. Ele se misturou às hordas do PT, PSOL, PSTU e outras porcarias que tais para fazer lobby em favor da manutenção dessa Lei odiosa que está em vigor. É bom que seus eleitores vejam isso e saibam negar-lhe o voto numa próxima eleição.
Os legisladores brasileiros precisam se dar conta de que eles estão no Congresso Nacional, não para agradar a seus partidos ou aos patrocinadores do crime, mas para fazerem leis que beneficiem o povo brasileiro em sua totalidade. Se eles vão contra a opinião pública, estão desempenhando erradamente seu papel no ambiente que ocupam. Numa nação consciente de seus deveres e necessidades, elementos como esses que habitam os recônditos do Congresso Nacional para, segundo eles trabalhar, não podem deixar a desejar do jeito que o fazem. O Brasil necessita mais do que nunca, de Leis mais duras, de penalidades que façam com que os malfeitores hesitem antes de cometerem seus malfeitos. Os legisladores não prestam qualquer favor à sociedade quando mudam uma legislação que permite afrontosamente que milhares de seres humanos sejam massacrados impiedosamente todos os anos por meliantes menores de idade ou não. A sociedade clama por mudanças rigorosas nas leis penais brasileiras, que são anacrônicas e permissivas, facilitando a prática de crimes horrorosos contra um povo desprotegido pela incúria de seus governantes velhacos.
A cantilena vergonhosa e desrespeitosa dos esquerdopatas em benefício e em defesa de bandidos cruéis e sanguinários, já ultrapassou as medidas do tolerável, pois conspiram contra o bem estar de um povo que clama por justiça e se vê massacrado nas ruas das cidades brasileiras todos os dias. O que nós queremos não é negociável! É nosso desejo ver todos os cretinos que cometem crimes contra pessoas desarmadas e pacíficas sofrerem as consequências de seus atos atrás das grades, não como se estivessem numa colônia de férias, mas dentro de um ambiente corretivo e por um período tão longo que cause neles um arrependimento capaz de demovê-lo da prática criminosa que desempenham. O que os esquerdistas patológicos pregam e querem, com sua ótica miserável, é que essa malta de facínoras seja premiada por seus crimes permanecendo impune como normalmente acontece. Em minha opinião, ainda não é o suficiente o que foi aprovado nessa votação no plenário da Câmara dos Deputados. Deixaram de fora tráfico de drogas, roubo qualificado e lesão corporal grave. Ora, o maldito tráfico de drogas mata muito mais do que as arma de fogo, porque não atinge apenas o viciado, mas toda a sua família que sofre impiedosamente por causa de sua prática condenável. Ignorar a importância desse crime é o mesmo que não dar importância à vida, é cometer um crime contra a sociedade. O roubo qualificado, ou seja, o assalto à mão armada é um crime considerado gravíssimo em qualquer país do mundo, menos entre os congressistas brasileiros. Lesão corporal grave é outro crime punido rigorosamente em países civilizados por seu caráter violento, mas pelo visto os nossos parlamentares não o veem assim. Enfim, parece que estão brincando de legislar. São amadores travestidos de parlamentares. É lamentável constatar fatos como esses!

quarta-feira, 1 de julho de 2015

BRASIL: UMA NAÇÃO EM DESALINHO E SEM GOVERNO





L. Telles  Bezerra

“Nunca, na história desse País”, (como costumava dizer o principal petista causador de todas as desgraças nacionais) viu-se algo parecido com a situação político/institucional que vivemos atualmente no Brasil. Nada parece funcionar de acordo com as Leis em vigor em nosso miserável Brasil, vilipendiado e saqueado por uma quadrilha montada para roubar nosso dinheiro. Desde que a esquerda se apoderou do poder em 1985, firmando um pacto entre as muitas correntes ideológicas existentes no meio político nacional, para que nunca mais a “direita” pudesse dar palpites na “grandiosa obra” sonhada por todos os esquerdopatas brasileiros, nada funcionou favoravelmente para os cidadãos dessa Nação. O governo que se seguiu ao último governo do movimento revolucionário de 1964, o de José Sarney, se incumbiu de iniciar a desmontagem da organização deixada pelo Regime Militar que, por 21 anos só trabalhou pelo engrandecimento do Brasil e de seu povo. Sarney, como é de seu feitio, aliou-se às piores personalidades da política nacional para conduzir aos tropeços seu desgoverno miserável quase destruindo nossa economia com seu desastroso Plano Cruzado, cujos efeitos eu senti na própria pele em 1986. Para acabar com uma inflação de 84% ao mês, o governo Sarney conseguiu destruir o sonho de milhares de brasileiros que iniciavam algum empreendimento confiando em sua atuação como presidente da República e deu no que deu. Nesse governo, a corrupção bateu todos os recordes possíveis e inimagináveis.
                      
Depois do governo Sarney desastroso seguiu-se o de Fernando Collor de Mello, outro desastre “titanítico” que deixou muitos milhares de cidadãos brasileiros de pires nas mãos em decorrência de seu catastrófico Plano Collor, que bloqueou as economias de todos transformando tudo num manicômio gigantesco. A inflação avolumava-se quando o vice de Collor de Mello, assumiu seu lugar após este ser cassado pelo Congresso Nacional. Itamar Franco presidente, nomeou Fernando Henrique Cardozo seu ministro da Fazenda, cujo objetivo era controlar a inflação e conseguiu numa jogada de mestre até então não recorrida por nenhum outro capitão da economia estatal. Seguiu-se um período de bonanças e intensa felicidade no seio da Nação brasileira, afinal, o monstro que devorava economias domésticas estava debelado. Mas... como tudo que é bom dura pouco, logo surgiu a grande chance de o PT de Lula ser guindado ao poder máximo da Nação, para desgraça desta! E isso aconteceu em outubro de 2002, quando Luiz Inácio “Lula” da Silva derrotou a José Serra (PSDDB-SP), ex-ministro da Saúde de FHC, que beneficiou e muito em sua gestão, os necessitados e aidéticos do Brasil, ao comprar uma briga heroica com os laboratórios multinacionais, quebrando-lhes as patentes de medicamentos até então intocáveis no tratamento da AIDS no mundo inteiro. Serra foi para os brasileiros como uma mãe protetora é para seus filhos. Mas, os beneficiados por tão magnífica atuação, que mereceu um prêmio das Nações Unidas, como o melhor ministro da saúde de todo o mundo, não reconheceram sua grandiosa luta e entregaram um cheque assinado em branco a um maloqueiro sem caráter, para que ele conduzisse uma Nação com ares de grandeza ao caos em que nos encontramos hoje.
Lula, ao assumir o governo federal do Brasil, prometeu mundos e fundos aos seus eleitores e deu como paga uma banana espetaculosa a todos os nacionais, como se fossem seus servos particulares e lhes mandou a todos catar coquinhos enquanto iniciava o saqueio desmedido da Nação brasileira. Para isso preparou com Zé Dirceu (hoje rompidos) um “plano genial” para o domínio total do Congresso Nacional, mediante propina grossa com o dinheiro dos cofres públicos. Estava instituído o MENSALÃO!!

Descoberto em 1985, depois de uma revelação feita por intermédio de um dos beneficiados, o então deputado federal Roberto Jeferson (PP-RJ), o Mensalão levaria, inexoravelmente, Lula e toda a sua quadrilha de malfeitores à prisão, assim como seria decretada a sua cassação mediante impeachment, não fosse a intervenção imediata dos tucanos liderados por Fernando Henrique Cardozo. O líder do PSDB no Senado, à época da descoberta do Mensalão, era o senador pelo estado do Amazonas, Arthur Virgílio, que tomou conhecimento da peça jurídica preparada pelos Democratas, e não permitiu, como chefe da oposição, que ela fosse adiante por intermédio do Senador José Agripino Maia (DEM-RN). A alegação de Arthur Virgílio, a mando de FHC, era a de que haveria uma comoção social, caso cassassem o meliante que ocupava a cadeira de presidente do Brasil. E isso foi seguido à risca!
Nos dias atuais, depois de muitos anos inúteis para o nosso País, vemos como foi danosa a interveniência do tucanato aliado dos petistas ladrões, para a não cassação de um patife que conspirava contra a Nação que governava e que tinha como objetivo, não engrandecer o País, mas o seu próprio patrimônio. Vemos, desconsolados e revoltados, uma Nação grandiosa do passado ser quase desmontada por culpa exclusiva de seus políticos, cujo comportamento se iguala ao das piores quadrilhas de bandidos presas nos presídios brasileiros. A diferença gritante entre os políticos nacionais e os presidiários do PCC e CV é que aqueles recebem seu peso em ouro como salários e benefícios que lhes pagamos para que continuem a desgraçar o País. Somos uma nação em declínio em todos os aspectos. Nenhum progresso auferimos desde que o Regime Militar entregou o comando aos civis em 1985. Somente retrocessos assistimos ao longo desses 30 anos de desmandos dessa esquerda imunda e criminosa. Essa corja sempre combateu os militares, mas quando tomou as rédeas da Nação transformou-a num monte de lixo, cuja limpeza demandará, pelo menos, um século ou mais para ser executada.
Nunca estivemos numa situação parecida com essa em toda a nossa história. Nada funciona adequadamente no Brasil de hoje. Até o Banco do Brasil, entidade de respeito irretocável, vendeu dólares falsos para uma família de Recife, que, ao tentar depositar os US$ 2,800,00 num banco do Texas, foi detida pela polícia e está hoje tentando provar que o crime foi cometido por um banco estatal brasileiro e não por ela. Destruíram a Petrobras, a maior estatal brasileira, dando-lhe um prejuízo superior a R$ 90 bilhões. No BNDES o rombo é 20 vezes maior e ainda sequer foi investigado. No passado, o Brasil era lembrado no mundo inteiro como o país do futebol. Hoje, é reconhecido por todos no exterior como o país onde existe a maior corrupção do mundo inteiro. Isso, para um país que quer ser respeitado é como um atestado de desonestidade.
Em declarações dadas nesse início de semana, o Procurador-Geral, Rodrigo Janot, disse em alto e bom som, que o roubo havido na Petrobras e constatado pela Operação Lava-Jato é monstruoso, é descomunal! Isso só já bastaria para que o desgoverno dessa senhora que não se dá ao respeito fosse desfeito e ela deposta e encarcerada como responsável pela completa bancarrota do Brasil. Não temos mais condições de suportarmos tal situação. É chegada a hora de um acerto de contas com essa esquerda maléfica e criminosa. Basta!